Total de visualizações de página

sábado, 18 de maio de 2013

BONITINHAS, MAS EXTRAORDINÁRIAS



AS CINCO MENINAS E A TREINADORA tomam café da manhã no balcão do posto. Toca Meu Refrigerador Não Funciona, dos Mutantes, no rádio.

- SÉRIO?! Ela conseguiu segurar um ladrão sozinha no shopping? É nossa menina de ouro!- Brígida,  líder do time, dá um tapinha nas costas de Clarissa. 
- Tudo é fácil de fazer quando a gente é atleta, né?- Clarissa disfarça a falsa modéstia.
- Vou avisando.- Diz a treinadora- Aqui eu deixo vocês comerem à vontade... Mas quando a gente voltar pra capital, serão oito voltas em torno da Pampulha, no mesmo tempo que levam para dar cinco, entenderam?!
- Sim, treinadora...- Toda respondem em tom monocórdio e robótico.

Alexia apanha cinco potes do doce de cajá-manga na dispensa.

- Quem vai...?

Elas avançam no doce como um bando de lobos famintos, derrubando a moça no chão.

- Por Kurt! Calma, gente! Tem pra todo mundo! Por enquanto...
- Olhem lá, garotas! São 800 calorias por colherada. Quando voltarmos para a capital, nem quero estar embaixo do couro de vocês!
- Sim, treinadora...
- É, o prefeito pode não conseguir nem soltar pipa sozinho- Diz Bárbara, tirando uns pães de queijo do forno- mas esse doce dele é um pecado!

Depois do café, as meninas improvisam suas rotinas de ginástica de solo no acimentado do posto, ao som  de Alexia em uma guitarrinha baiana moldada como a guitarra Jag-Stang de Kurt Cobain. As mulheres do recinto ficam admiradas com a habilidade do time. Bárbara tenta se mostrar indiferente, mas não consegue conter a emoção. A treinadora toca o apito.

- Chega.! Muito bom, muito bom, garotas. Mas para serem perfeitas ainda têm uma estrada enorme a percorrer! Retomaremos o trabalho sério na capital. Pro chuveiro!
- Graças a Deus!- Resmunda Brígida.
- Tô morta!- Resmunga Rita.
- Também.- E a irmã gêmea.
- A senhora tá de parabéns, Treinadora.- Flor a felicita- Nunca vi Clarissa tão forte, e mesmo assim, graciosa.
- É todo um trabalho em equipe, Srª Bernardes. Elas se ajudam muito e se incentivam sempre que alguém pisa na bola. Sinergia absoluta.
- Um trabalho incrível, treinadora. O time vai brilhar no país todo!

O celular de Alexia toca no bolso de suas calças jeans sempre estropiadas e ultrajustas.

- Cencinha, gente. Alô? Aaaaaah, ocê, Jakson... Me deixando plantada lá na estrada, né? E ainda vem pedindo perdão... Tá, tá, pára de espernear, rapaz! Apruma, pôxa! Olha... Por incrível que pareça, eu tô a fim de te perdoar, sim. Quer encontrar comigo lá no bar do Escocês mais tarde? Depois do almoço tá bom procê? Ok, então. Me aguarde!

Joga um beijo pelo celular. Ela desliga.

- Qualé, prima? Ainda joga beijinho pro malandro que preferiu um skate a ocê?
- Minha técnica infalível, Barbie. Dou esperanças pra ele, e depois deixo o sujeito com as calças na mão. Não esqueça que eu ainda tenho aquele assunto das 100 mulheres dele pra resolver, lembra? Se depois de sabatinado ele ainda insistir em me ver, aí é rock n roll!
- Ah, tá...
- Olha, treinadora.- Diz tia Flor- A gente precisa de uma ajudinha pra enfeitar a casa pro aniversário de Clarissa. Se importaria de emprestar as garotas pela tarde?
- De forma alguma!
- Ô, Clá? Acho que a gente já passou tempo demais aqui no posto. Vamo pra casa?
- Vamo sim, mãe. Tô com saudades do Sabata e de meu bercinho!
- MEU bercinho, pro seu governo!- Implica Bárbara.
- Tanto faz. Vamos, meninas?

Enquanto elas voltam para a van, Alexia ri baixinho.

- Barbie, Barbie... Apesar de mais velha, ainda consegue ser tão criançona...
- Tentar vencer com as mesmas armas do inimigo não é crime.

Um comentário: