Total de visualizações de página

quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

THIS MEANS WAR! (PARTE 1)



MAIS CEDO NAQUELE MESMO DIA, o helicóptero particular do prefeito deixou o heliporto particular de sua mansão, ao passo que um enorme carro preto, quase tão grande quanto a limusine Ford Fusion do prefeito, chega o mais disfarçadamente possível pelos fundos da prefeitura. O vice-prefeito Seu Edy, Abelzinha e Sargento Tijolada recebem o matador desastrado de Don Giovanni Pasolini. Que chega com mais meia dúzia de jagunços.

- Perdão pela ausência do prefeito, senhores.- Anuncia a secretária de Chicão- Precisou tomar um vôo urgente.

Chama o matador de lado e cochicha em seu ouvido.

- E, perdão pela franqueza, ele não tá a fim de ver nem sua cara, nem a do seu patrão.
- Entendo.
- Ocê meteu o prefeito numa tremenda saia justa.
- A cidade toda tá comentando os corpos afogados no asfalto.- Comenta Tijolada.
- Qual é a situação?
- A Polícia do Estado tá pra chegar. Não se fala de outro assunto nas ruas.
- E o concorrente do programa do prefeito tá lá, fazendo uma matéria sobre o ocorrido.- Complementa o vice-prefeito.
- Então, tudo trabalha contra nós na situação. Vamos logo, pessoal. Temos só 15 minutos pra resolver essa situação!

Todo mundo entra num carro fúnebre preto. Na cena do crime, Eduardo Vassourada e sua equipe começam a gravar sua reportagem. Ele tenta pendurar o microfone na lapela da camisa florida e dá uns tapinhas nele pra testar.

- Dá pra ouvir minha voz, Bira?

O técnico de som dá sinal de positivo. A mocinha traz a claquete pra frente de Eduardo.

- Em três, dois, um...

Fecha a claquete, a câmera roda. Eduardo faz uma cara que mais lembra Hitler.

- Esta manhã, São Modesto foi palco da morte no asfalto mais estranha, para não dizer suspeita, da história da cidade, e quiçá de todo o estado...

Passam-se as horas...

Hospital de São Modesto. De repente, um zonzo e debilitado Eduardo Vassourada abre os olhos com o sol entrando pela janelinha do corredor e se encontra deitado numa maca.

- O que... Que foi que aconteceu? O que eu tô fazendo numa... AI!

A cabeça dele está enfaixada, cobrindo o olho direito, tem uma coleira ortopédica no pescoço e seu braço direito deslocado, preso numa tipoia. Um homem negro de cabelos curtos e bigode, usando roupa social, vai até a maca.

- Até que enfim acordou, hem, Vaz?
- Dr. Sandro Caveira? Que foi que aconteceu comigo?
- Tenho más notícias.
- Piores do que ter acordado aqui no hospital, todo arrebentado?
- Temo que sim, companheiro. Chicão foi mais rápido que a gente mais uma vez. Assim que o senhor começou a gravar a reportagem, um carrão preto apareceu por detrás da multidão. Saíram vários homens de terno preto, ameaçaram as pessoas, baixaram o sarrafo em toda nossa equipe e arrastaram os defuntos pra dentro do carro.
- Diante da câmera?
- Essa é a outra má notícia... Um deles tinha uma daquelas pistolas automáticas com um silenciador e triturou a câmera.
- Minha Santa Nastácia! Que confusão...
- E, pra piorar... Te caparam na frente de todo mundo. Seu pingolim tá ali dentro, num freezer...
- O QUÊÊÊÊÊÊ?
- Hehehehehe... Desculpa, Vaz. Passei a noite pensando nessa piada, não resisti...
- Sem- vergonha... Brincadeira tem hora, sabia?

Ele enterra a cabeça entre os ombros e acena negativamente com a cabeça, tentando se lembrar do que houve. A última coisa de que se lembra é de apontar o indicador para os corpos no chão, para que o cameraman os filmasse. Sorte dele não se lembrar dos três gângsteres que abriram caminho na multidão e se atiraram em cima dele, como num jogo de futebol americano, apagando-o instantaneamente. Os outros três sacaram suas Glocks semiautomáticas e as apontaram para a multidão.

- Nenhuma palavra. Nenhuma palavra de nenhum de vocês. Contem para qualquer pessoa o que viram aqui, contem pra polícia, e todos vão sumir também. Esses corpos no chão NÃO EXISTEM, entenderam? NÃO. EXISTEM. Nem tentem nos seguir.

Eduardo muda completamente o semblante, ficando com os olhos sedentos por sangue e arfando pelo nariz.

- Sabe o que isso quer dizer, não sabe, Dr. Sandro?
- O quê?
- Que, assim que eu tiver alta... Haverá guerra em São Modesto, AI! E o império de Chicão Rotscheider será o troféu!
- Fala sério, Vaz?
- Tão sério como sempre falei, meu caro.

Ele se levanta da maca e começa a se arrastar em círculos, enquanto matura sórdidas idéias em sua mente.

Um comentário:

  1. É que os malvados façam suas malvadezas com mais discrição. A lei os alcançará e não será fácil.

    ResponderExcluir